Bianca Santana: Antirracista também na urna? — Gama Revista
COLUNA

Bianca Santana

Antirracista também na urna?

Se você votar em pessoas brancas, o resultado eleitoral provavelmente será a perpetuação da desigualdade racial na política institucional local

21 de Outubro de 2020

Em 2020, teremos a eleição com mais candidaturas negras da história. Em decisão inédita do STF — provocado pela deputada Benedita da Silva (PT-RJ) e movimentos como a Coalizão Negra por Direitos — partidos precisam dividir dinheiro e tempo de rádio e televisão de modo proporcional entre pessoas negras e brancas. Mas se, apesar de antirracista, você votar em pessoas brancas, o resultado eleitoral provavelmente será a perpetuação da desigualdade racial na política institucional local. Você sabe disso.

Há inúmeras candidaturas brancas que respeito e admiro em São Paulo, cidade onde voto. Algumas delas verdadeiramente comprometidas com as lutas antirracista, feminista, popular. Dentre as muitas candidaturas negras igualmente feministas, populares e expressões maiores do antirracismo, se destacam as oriundas do movimento negro, pelo acúmulo coletivo e compromisso histórico. Há uma diversidade dessas ótimas candidaturas em todo o Brasil. Mas diante da urna é necessário escolher. E nessa hora, com quem você fecha?

A democracia defendida por vocês não será completa enquanto a maior parte da população estiver alijada dela

Compartilho a decepção previsível com muitos dos aliados brancos antirracistas que até topariam escolher uma mulher negra se tivesse duas ou três possibilidades de voto. Mas, quando é preciso escolher um número só, não dá para ser de um preto ou uma preta. Especialmente para cargo majoritário, para o Executivo, que concentra mais poder. Aí já seria demais. Apesar de nenhum candidato ser perfeito, as qualidades do branco ganham força na mesma medida que os defeitos do negro. “Mas isso não tem nada a ver com racismo”, deixam no ar ou afirmam explicitamente. Igualzinho aos racistas.

Já pensou que vergonha, neste 2020 de tanta postagem de tela preta no Instagram, seguirmos elegendo uma maioria de brancos?

Nessa hora fica difícil investir nas alianças. Seguir acreditando que há mudanças importantes em curso e que construir pontes é essencial para transformações ainda mais profundas. Mas se o poder é branco e não há indícios de um levante negro totalmente independente e autônomo no horizonte, que outros caminhos restam? É preciso respirar fundo e seguir argumentando com vocês. Repetir que o racismo nos desumaniza a todas e todos. Que a democracia defendida por vocês não será completa enquanto a maior parte da população estiver alijada dela. Que não é pelas pessoas negras. Que é por vocês e pelo que estão deixando como legado. Já pensou que vergonha, neste 2020 de tanta postagem de tela preta no Instagram, com o aumento de candidaturas negras, com a decisão do STF, com a agenda Marielle Franco, seguirmos elegendo uma maioria de brancos?

Sua candidata ou candidato não negro merece seu voto, não tenho dúvida. Mas neste 2020, você pode votar em candidaturas do movimento negro?

Bianca Santana pesquisa memória e a escrita de mulheres negras. É autora de 'Quando Me Descobri Negra'. Pela Uneafro Brasil, tem colaborado na articulação da Coalizão Negra por Direitos

Quer mais dicas como essas no seu email?

Inscreva-se nas nossas newsletters

  • Todas as newsletters
  • Semana
  • A mais lida
  • Nossas escolhas
  • Achamos que vale
  • Life hacks
  • Obrigada pelo interesse!

    Encaminhamos um e-mail de confirmação