Fabio Assunção responde - Questionário Proust — Gama Revista
Questionário Proust

Fabio Assunção

Ator

07 de Novembro de 2020

Conhecido e premiado pelo trabalho na TV, no cinema e no teatro há três décadas, ele atua em “Onde Está Meu Coração” (2020), série da Globo exibida no Festival de Berlim deste ano

  • 1

    Qual é sua ideia de felicidade perfeita?

    Acredito na imperfeição e na dúvida como caminhos da felicidade. Sempre fui mais feliz tirando 9,5 numa prova do que 10. Acho que a incompletude estimula a se buscar algo, e esse movimento de busca, sendo realizado com retidão, ética e caráter, me faz feliz. Sob esse ponto de vista, então, considero a perfeição infrutífera e preguiçosa? Eu escrevi isso? Agora já foi...

  • 2

    Qual é o seu maior medo?

    Ser dependente de alguém. O ser humano é lindo até você precisar dele. Prefiro independência e altruísmo.

  • 3

    Que característica mais detesta em você?

    Detesto meu nervosismo quando estou sob pressão. Detesto a perturbação que me causa alguém interromper o fluxo do que estou vivenciando. Detesto sentir raiva.

  • 4

    Que característica mais detesta nos outros?

    Detesto quando alguém mente para mim, e a merda é que eu percebo. Deslealdade. Ingratidão. É, ingratidão é horrível. Gente dissimulada. O resto não preciso conviver.

  • 5

    Que pessoa viva você mais admira?

    Imagino que não valha como resposta alguém que as pessoas não conheçam, tipo “minha tia Zulmira...”, até porque não tenho tal tia. Então, pensando em uma pessoa notória, tendo a admirar os coerentes, os surpreendentes, persistentes e geniais intelectualmente, tipo Chico Buarque. Por outro lado, acho bonito ver alguém lutando para mudar o mundo, mas me tornei bastante descrente em relação a isso ultimamente, pois aprendi que o mundo não está aí para ser mudado. Quem muda é o ser, e esse ser, evoluindo, passa a ver o mundo com mais encantamento. O lixo sempre estará ali. Você é quem pode aprender a admirar o vento que o leva embora.

  • 6

    Qual é a sua maior extravagância?

    Minha relação com cigarro é indecente, fumo às vezes dormindo. Mas um dia me despedirei dele. E essa será uma extravagância gigante.

  • 7

    Qual é o seu estado mental atual?

    Esta pergunta me deu um calafrio (risos). Mas a verdade é que jamais estive tão consciente e pleno mentalmente na minha vida. Meu estado mental atual está em expansão e posicionado.

  • 8

    Que virtude considera superestimada?

    Todas elas. A virtude transita em silêncio. Se fazem barulho por alguma virtude sua, não a perca comemorando por tê-la.

  • 9

    Em que ocasião você mente?

    Eu não minto. Nunca vi nenhum benefício nisso.

  • 10

    O que menos gosta sobre sua aparência?

    Não me importo com isso. Mudo muito, tive dezenas de visuais, então sei que aparência é circunstancial.

  • 11

    Que pessoa viva você mais despreza?

    Este sujeito que está na presidência, seus “Zeros”, assessores, todo seu ecossistema... Por tudo que institucionalizam e autorizam num Brasil gigante em diversidade e talento. E não estou falando de política, me refiro a uma desprezível e odiosa maneira de ver o coletivo. O brasileiro precisa de arte, justiça e igualdade de direitos, mas é desprezado, desvalorizado, está à deriva. A corrupção está autorizada.

  • 12

    Que qualidade mais admira em um homem?

    Não divido mais os seres em homens e mulheres. Não sei precisar quais seriam características admiráveis por gêneros. Uma visão espiritual não se ocupa disso. A autenticidade é admirável em qualquer pessoa. Gosto de gente com atitudes de verdade. Mas, tentando responder, talvez um homem gentil, respeitoso, que reconheça seus privilégios, que não se lambuze com o poder, que seja mais admirável. Ressignificar o velho homem é uma questão natural de mudança de era. Tá no fim. Estamos no inicio de algo forte.

  • 13

    Que qualidade mais admira em uma mulher?

    Seu empoderamento e independência, minha filha é assim. A mulher foi massacrada, por isso aqui cabe o gênero. Se for falar em cor de pele então...

  • 14

    De que palavras ou frases você abusa?

    Mais escrevo que falo, então tenho tempo de escolher as palavras e assim não cometo esse delito. Na vida falada, abuso de palavrões inofensivos.

  • 15

    O que ou quem é o maior amor da sua vida?

    João e Ella Felipa, meus filhos.

  • 16

    Quando e onde você foi mais feliz na vida?

    Aqui e agora. Sou absolutamente feliz hoje, mesmo se estiver entre adversidades, conflitos, não importa, me sinto pronto.

  • 17

    Que talento você mais gostaria de ter?

    Muitos, dezenas deles. Talvez centenas! Fico vidrado com gente talentosa em todas as áreas. O talento em si é maravilhoso, “em que” me parece irrelevante.

  • 18

    Se você pudesse mudar uma coisa sobre você, o que seria?

    Todas as mentiras escritas por pessoas inúteis e que agora estão no Google e não sairão nunca mais de lá (risos). Mudaria também todos os Fabios com acento que foram escritos. Meu nome não tem acento. É Fabio, simples assim.

  • 19

    O que considera sua maior conquista?

    Sou empático, mas sofria com isso. Portanto, o equilíbrio da empatia tem sido uma conquista.

  • 20

    Se você morresse e voltasse como uma coisa ou uma pessoa, o que você gostaria de ser?

    Uma semente.

  • 21

    Onde você mais gostaria de morar?

    Num lugar envolto em 360 graus de natureza.

  • 22

    Qual é o seu pertence mais estimado?

    Meus livros. Eles estão vivos.

  • 23

    O que você considera o nível mais baixo da desgraça?

    O homem pensar que é o dono do planeta e, claro, as consequências disso.

  • 24

    Qual sua ocupação favorita?

    Ouvir música. Faço playlists incríveis!

  • 25

    Qual sua característica mais marcante?

    Minha entrega em tudo que faço, mesmo que às vezes não consiga entregar o que espero. Me cobro muito.

  • 26

    O que você mais valoriza em seus amigos?

    Amigos se amam, SEMPRE. Amigo que só chega junto quando a “maré tá pra peixe” é chupim. Tive a sorte de conhecer a diferença entre eles. Famosos têm muitos “amigos” (risos). Gosto de dar boas risadas com meus amigos. Adoro a fidelidade entre amigos. Amigo é aquele que te mostra o mundo com ironia, de forma leve, que sabe discutir, que te conhece. Tenho poucos e bons.

  • 27

    Quais os seus escritores favoritos?

    Vou dar uma pincelada geral... Paulo Freire, Antonio Gramsci. Fernando Pessoa. Virginia Woolf, Oscar Wilde, Albee, Nelson Rodrigues, Plínio Marcos. Tennessee Williams. Manoel de Barros, Cora Coralina. Leonardo Boff. Kafka, Sam Shepard, Cormac McCarthy, Brecht, Tchekhov. Ariano Suassuna. Plínio Marcos, Mario Bortolotto. George Moura. Gilberto Braga. Maria Adelaide Amaral. Daniel Galera, Marçal Aquino, Erico Verissimo. Thich Nhat Hanh. Eça de Queiroz, Valter Hugo Mãe. Hilda Hilst, Lygia Fagundes Telles. Ruy Castro. Caio Sóh. Jung e Proust (embora não tenha capacidade de lê-los). Arthur Muller, Gabriel García Márquez, Lorca, Artaud, Beckett e Ionesco. Gosto dos russos, Dostoiévski, Tolstói, Gógol. Tem muita gente incrível chegando também.

  • 28

    Quem é seu herói na ficção?

    Toda ficção tem um herói, né? Difícil dizer, são todos tão heroicos (risos).

  • 29

    Com qual figura histórica você mais se identifica?

    Não faço a menor ideia.

  • 30

    Quem são seus heróis na vida real?

    O povo brasileiro. Roubado, falido e cheio de vida e esperança.

  • 31

    Quais são seus nomes favoritos?

    Os que têm significado. Não gosto de nomes modais nem pomposos. Escolhi os nomes dos meus filhos assim.

  • 32

    O que você mais detesta?

    Já não falamos sobre isso?

  • 33

    Qual seu grande arrependimento?

    Tudo aconteceu como deveria ter sido e com muita proteção. Tá tudo certo. O passado e o futuro são memorias, aprendizados e projeções. Não conseguiria me arrepender pelo que não vive mais em mim, nem que tentasse.

  • 34

    Como gostaria de morrer?

    Sabendo ser um fim e percebendo a passagem. Lúcido. Talvez fumando um cigarrinho (caso o projeto de parar não dê certo...).

  • 35

    Qual é o seu lema?

    Mais que estar vivo, existir!

Conhecido e premiado pelo trabalho na TV, no cinema e no teatro há três décadas, ele atua em “Onde Está Meu Coração” (2020), série da Globo exibida no Festival de Berlim deste ano

Quer mais dicas como essas no seu email?

Inscreva-se nas nossas newsletters

  • Todas as newsletters
  • Semana
  • A mais lida
  • Nossas escolhas
  • Achamos que vale
  • Life hacks
  • Obrigada pelo interesse!

    Encaminhamos um e-mail de confirmação