Ruy Castro — Gama Revista
Questionário Proust

Ruy Castro

escritor e jornalista

20 de Abril de 2020

Mineiro e cidadão benemérito do Rio, começou como repórter em 1967 e passou por os principais jornais do país. É autor de biografias de Carmen Miranda, Garrincha e Nelson Rodrigues

  • 1

    Qual é sua ideia de felicidade perfeita?

    Dormir embalado por uma vitória do Flamengo e reconstituir mentalmente os gols.

  • 2

    Qual é o seu maior medo?

    Ficar “locked in” – consciente, mas impossibilitado de me mexer e falar.

  • 3

    Que característica mais detesta em você?

    Não saber alemão.

  • 4

    Que característica mais detesta nos outros?

    A burrice.

  • 5

    Que pessoa viva você mais admira?

    Minha mulher, Heloisa Seixas.

  • 6

    Qual é a sua maior extravagância?

    Gostar de operetas de cinema dos anos 30. Sou louco pelos filmes de Jeanette MacDonald e Nelson Eddy.

  • 7

    Qual é o seu estado mental atual?

    Razoavelmente lúcido, mas perdido em meio ao inferno tecnológico.

  • 8

    Que virtude considera superestimada?

    A moral. Como dizia Nelson Rodrigues, “Se todos conhecessem a intimidade sexual uns dos outros, ninguém cumprimentaria ninguém”.

  • 9

    Em que ocasião você mente?

    Quando sinto que a verdade pode magoar alguém.

  • 10

    O que menos gosta sobre sua aparência?

    Pouco cabelo. Já tive quilos.

  • 11

    Que pessoa viva você mais despreza?

    Se eu pensasse em certas pessoas, talvez as desprezasse. Mas não lhes darei este gostinho.

  • 12

    Que qualidade mais admira em um homem?

    A coragem.

  • 13

    Que qualidade mais admira em uma mulher?

    O humor.

  • 14

    De que palavras ou frases você abusa?

    De advérbios de modo. Mas, assim que acabo de escrever, releio e apago todos. Não fica um, e o texto não perde nada.

  • 15

    O que ou quem é o maior amor da sua vida?

    Não é possível quantificar o amor.

  • 16

    Quando e onde você foi mais feliz na vida?

    Tenho recordações maravilhosas de minhas filhas, Pilar e Bianca, em crianças.

  • 17

    Que talento você mais gostaria de ter?

    Gostaria de saber tocar piano.

  • 18

    Se você pudesse mudar uma coisa sobre você, o que seria?

    Magro. Já perdi uns 200 quilos, mas recuperei todos.

  • 19

    O que considera sua maior conquista?

    Ter aprendido a ler antes dos cinco anos. Desde então, não evoluí nada. Continuo lendo.

  • 20

    Se você morresse e voltasse como uma coisa ou uma pessoa, o que você gostaria de ser?

    Um misto de Millôr Fernandes com Zico e Tom Jobim, se é que seria possível.

  • 21

    Onde você mais gostaria de morar?

    Onde moro: no Rio. E, daqui do meu apartamento no Leblon, só para o São João Batista.

  • 22

    Qual é o seu pertence mais estimado?

    Uma caixinha com confete colorido do Carnaval carioca de 1919, que arrematei num leilão.

  • 23

    O que você considera o nível mais baixo da desgraça?

    Ser filiado a um partido político – qualquer um – e ter de seguir seus ditames.

  • 24

    Qual sua ocupação favorita?

    Observar meus gatos. Aprendo muito com eles.

  • 25

    Qual sua característica mais marcante?

    Dizem que sou calmo, que nada me aporrinha. Talvez eu apenas disfarce bem.

  • 26

    O que você mais valoriza em seus amigos?

    O fato de eu gostar deles, com ou sem motivo.

  • 27

    Quais os seus escritores favoritos?

    Dos brasileiros, Manuel Antonio de Almeida (autor de “Memórias de um sargento de milícias”), Alvaro Moreyra, Nelson Rodrigues.

  • 28

    Quem é seu herói na ficção?

    Drácula.

  • 29

    Com qual figura histórica você mais se identifica?

    Com Henry Stanley, o repórter do “New York Herald” que descobriu o Dr. David Livingstone, um cientista perdido na África, nas margens do lago Tanganica, em 1871, e lhe perguntou: “Dr. Livingstone, I presume?”.

  • 30

    Quem são seus heróis na vida real?

    Os médicos que me mantiveram vivo nos últimos anos.

  • 31

    Quais são seus nomes favoritos?

    Isabel, João Ruy, Olivia, Teresa e Aurora – por acaso, os dos meus netos.

  • 32

    O que você mais detesta?

    Macarrão.

  • 33

    Qual seu grande arrependimento?

    Não ter ido assistir a um show da cantora Mabel Mercer no hotel Saint Regis, emNova York, em 1974, estando eu de bobeira na cidade e hospedado a dois quarteirões.

  • 34

    Como gostaria de morrer?

    Já tive várias opções, mas não gostei de nenhuma.

  • 35

    Qual é o seu lema?

    “Aquele que morre com mais brinquedos, ganha.” – Frank Sinatra

Mineiro e cidadão benemérito do Rio, começou como repórter em 1967 e passou por os principais jornais do país. É autor de biografias de Carmen Miranda, Garrincha e Nelson Rodrigues

Quer mais dicas como essas no seu email?

Inscreva-se nas nossas newsletters

  • Todas as newsletters
  • Semana
  • A mais lida
  • Nossas escolhas
  • Achamos que vale
  • Life hacks
  • Obrigada pelo interesse!

    Encaminhamos um e-mail de confirmação