Arquivos série de TV — Gama Revista

série de TV

Imagem de destaque do post
Assistir

Apogeu e queda do dono de Bagu

Em quatro episódios, a série documental “Doutor Castor” conta a história do bicheiro que foi presidente do Bangu Atlético Clube e patrono da escola de samba Mocidade Independente de Padre Miguel, além de líder do jogo do bicho em um dos bairros mais populosos da zona oeste do Rio. Disponível no Globoplay, a série conta uma típica história de gângster e traz em entrevistas e reportagens da época um mundo que não existe mais (e, talvez, ainda bem). (Isabelle Moreira Lima)
Imagem de destaque do post
Assistir

O clichê do ladrão sofisticado

A nova série da Netflix, “Lupin” (2021), traz Omar Sy ("Os Intocáveis"), de volta às telas. Em busca de vingança por seu pai, o papel de ladrão culto o coloca sempre um passo à frente de seus rivais -- ainda que seja vítima de racismo, pois desta vez o gatuno elegante é negro. Entretenimento perfeito para o Brasil, a produção francesa traz um protagonista com cara de Robin Hood em um enredo simples mas com questões importantes. (Manuela Stelzer).
Imagem de destaque do post
Ler

Scorsese e Lebowitz em Nova York

Além de estrela da série documental “Faz de Conta que NY É uma Cidade”, de Martin Scorsese, a humorista Fran Lebowitz é também grande amiga do cineasta. Agora, numa imperdível entrevista para o Times, traduzida pela Folha, os dois falam sobre a série, a cidade e a pandemia — que os impediu até de passar a última véspera de Ano Novo juntos —, desfilando uma química que só dois amigos de longa data conseguem compartilhar. (Leonardo Neiva)
Imagem de destaque do post
Assistir

Quando Jane Austen encontra 'Gossip Girl'

Nem só de dramas hospitalares vive Shonda Rhimes. Bridgerton (2020), a nova produção da criadora de Grey's Anatomy, estreou na Netflix no Natal e já é um hit no pódio da plataforma. Baseada na coleção literária de Julia Quinn, traz cenário e figurino da época da Regência Britânica (século 19) -- mas questões e tramas assustadoramente atuais, com mulheres imponentes, um jornal de fofocas a la "Gossip Girl" e uma corte diversa. (Manuela Stelzer)
Imagem de destaque do post
Assistir

Remédio audiovisual para a carentena

Normal People é lenta. E clean. Ao mesmo tempo, é agridoce e profundamente sexy. A adaptação do livro de Sally Rooney, em menos de duas semanas desde sua estreia no Brasil, já foi receitada como remédio para os mais solitários (vide a Antologia Profética de Fernando Luna), ao trazer cenas de sexo inspiradas e inspiradoras e oportunidades iguais de nudez. Estrelada por Daisy Edgar-Jones e Paul Mescal, conta as idas e vindas do jovem casal irlandês Marianne e Connel, ela pobre menina rica, ele filho da amorosa faxineira da família dela. Ele, popular na escola; ela, nerd esquisitona; os dois, inteligentíssimos e lindos, pegam fogo juntos. A primeira temporada, de 12 episódios de 30 minutos, está disponível na plataforma Starz.